Ministério do Desenvolvimento Social sinaliza liberação de R$ 15 mi para cisternas em Sergipe

0
5
Foto: ASN
O Ministério do
Desenvolvimento Social (MDS), por meio da Secretaria Nacional de Segurança
Alimentar e Nutricional – Sesan, publicou no Diário Oficial da União desta
quarta-feira, 12, termo de compromisso para liberação de R$ 15 milhões para
construção de cisternas em municípios sergipanos da região do semiárido, no
âmbito do Programa Nacional de Apoio à Captação de Água de Chuva e Outras
Tecnologias Sociais de Acesso à Água – Programa Cisternas.
Em janeiro deste
ano, Jackson reuniu-se com o ministro do MDS, Osmar Terra, e cobrou a ajuda do
governo federal para o semiárido de Sergipe. Em março, em visita a Sergipe, o
ministro confirmou o auxílio. “Nós queremos que o Ministério do Desenvolvimento
Social possa fazer um atendimento mais direto às populações atingidas pela
seca. Fiquei extremamente feliz por saber que teremos mais recursos para o
semiárido. O ministro sabe das dificuldades que as prefeituras estão passando e
que a seca atinge quase todo o estado. Os recursos atenderão as necessidades do
povo, independentemente de siglas partidárias”, declarou o governador na
ocasião.
De acordo com a publicação desta quarta, a proposta é que seja formalizado novo Termo de
Convênio com o Estado a partir da demanda levantada junto ao Cadastro Único
para Programas Sociais do Governo Federal e ao Censo Escolar 2016, na
perspectiva de reduzir o déficit de acesso à água de famílias rurais de baixa
renda e universalizar o atendimento das escolas públicas rurais que também não
disponham de tecnologia adequada para acessar água de qualidade para o consumo.
Segundo o deputado
federal sergipano, Fábio Reis, a portaria assegura recursos que vão
possibilitar, até o próximo ano, que Sergipe seja o primeiro estado a
universalizar o acesso à água em todo o estado.
“Hoje eu transmiti ao governador em exercício, Belivaldo Chagas, essa
excelente notícia para o estado, na qual mais de 20 municípios serão
contemplados, como Tobias Barreto, Pinhão, Frei Paulo e Nossa Senhora
Aparecida, que terão 100% das famílias atendidas, com acesso à água. Hoje é um
dia que ficará marcado para a população mais sofredora do nosso estado como uma
grande vitória”, disse Fábio Reis.
O secretário de
Estado da Agricultura, Esmeraldo Leal, explica que no semiárido o índice
pluviométrico é bem menor que o restante do Estado, por isso a importância das
cisternas nas comunidades dessa região. “Se chove menos, a gente tem uma
quantidade de água menor captada para o consumo humano e animal e para a
irrigação. Ter cisterna no semiárido é algo fundamental porque dá condições
para que as famílias de cada comunidade sobrevivam com a água captada da chuva
e, portanto potável, da mesma forma que ajuda a irrigação e a dessedentação
animal. O impacto de uma cisterna em uma comunidade ou em uma residência é
muito grande nessas localidades, é muito bom para as famílias desses
municípios”.
Seca e ações do governo
A partir do Plano
Detalhado de Resposta aos Efeitos da Seca, o governo do Estado proporciona
alívio aos homens e mulheres do semiárido sergipano que enfrentam o longo
período de estiagem. As ações incluem aquisição e distribuição de material
forrageiro, ampliação de abastecimento de água por meio de carros-pipa, linhas
de crédito emergenciais do Banese, entrega de sistema de dessalinização de água,
perfuração de poços e limpeza de barragens.
O Programa de
Recuperação de Barragens do governo do Estado, edição 2017, por exemplo,  recuperou 12 reservatórios este ano. Foram
executados trabalhos em barragens de Frei Paulo, Poço Redondo, Cedro de São
João, Carira, Tobias Barreto, Porto da Folha, Poço Verde, Canindé de São
Francisco, Gararu, Nossa Senhora da Glória e Nossa Senhora de Lourdes. O
investimento para recuperação dos reservatórios foi de R$ 1.240.341,64, recurso
oriundo do Fundo Estadual de Combate e Erradicação da Pobreza (Funcep).
A Recuperação de
Barragens é uma ação conjunta entre as secretarias de Estado da Mulher, da
Inclusão e Assistência Social, do Trabalho, dos Direitos Humanos e Juventude
(Seidh) e da Agricultura, Desenvolvimento Agrário e da Pesca (Seagri). A
Companhia de Desenvolvimento de Recursos Hídricos e Irrigação Sergipe (Cohidro)
foi responsável pelo projeto de engenharia e fiscalização das obras, executadas
por empresa licitada.
“O programa do
governo do Estado, executado pela Cohidro, vai ampliar o tempo de resistência
que o sertanejo tem à seca. Praticamente todas estas barragens secaram no ano
passado. Estão situadas, todas, em municípios onde foi decretado estado de
emergência devido a esta seca. Aumentando a quantidade de água da chuva
acumulada nessas barragens, maior será o tempo que elas permanecerão
abastecendo moradores e os pequenos criadores de gado em suas redondezas e até
de bem mais longe”, reforçou o diretor-presidente da Cohidro, José Carlos
Felizola Filho.

 

Fonte: ASN

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here